Tendências

Curto prazo

1 a 5 dias

Médio prazo

5 a 90 dias

Análise técnica

Longo prazo

3 meses a 3 anos

Análise fundamentalista

Análise técnica

24/04/2018 Solicitar análise

No médio prazo, a tendência para os preços da PDG REALT ON (PDGR3) é de lateralização, já que não há fatores suficientes para se configurar uma tendência de alta ou de baixa neste momento. Pelo fato dos preços não se encontrarem próximos nem de zonas de pressão compradora (suportes) nem de predominância vendedora (resistências), a tendência de curto prazo para a cotação é neutra. Neste contexto, não vemos oportunidades interessantes de compra nem de venda do ativo no momento. Caso os preços venham a subir, existe uma chance razoável de que eles voltem a cair após se aproximar do patamar de resistência em 1,90 representada pela linha vermelha no gráfico. Isso porque na proximidade deste patamar existem muitos investidores interessados em desfazer de seus ativos, o que poderá acarretar o aumento da oferta frente a demanda pelos papéis. Ao mesmo tempo, caso os preços consigam ultrapassar essa resistência com força e convicção (fechamento próximo da máxima e volume acima da média), haverá uma enorme probabilidade de continuação das altas e de retomada da tendência de alta de médio prazo para a PDG REALT ON (PDGR3). Em um cenário de queda para os preços, um ponto de possível interrupção das quedas ficaria na região de suporte em 1,50 representado pela linha verde no gráfico, onde o aumento da demanda pelos papéis poderia ocasionar a retomada das altas da PDGR3.

2ª Resistência
R$ 2,00
1ª Resistência
R$ 1,90
1º Suporte
R$ 1,50
2º Suporte
R$ 31,15

Avaliar compras

Possíveis oportunidades de compra para as ações da PDG REALT ON poderão ocorrer caso os preços da ação se aproximem da região de suporte em 1,50 representado pela linha verde no gráfico. Neste patamar, por existirem muitos investidores dispostos a comprar a ação conforme observado no passado, existe boa chance de que os preços parem de cair e retomem as altas. Outro cenário interessante para compras, ocorrerá caso os preços superem a região de resistência em 1,90 com um candle de força e volume financeiro acima da média diária, situação em que seria extremamente provável que os preços continuassem subindo, iniciando uma nova tendência de alta de médio prazo.

Avaliar vendas

As pessoas que têm ações da PDG REALT ON em carteira visando o curto prazo, deverão avaliar vender ações da empresa na proximidade da resistência em 1,90, já que neste patamar a pressão vendedora deve voltar a se tornar predominante, aumentando a oferta de papéis em relação à demanda e portanto a chance de que ocorra alguma queda para os preços. Outro cenário no qual seria recomendado que se avaliasse a venda das ações, seria no desrespeito do suporte em 1,50, que caso venha aconteça poderia recolocar a ação em tendência de baixa no médio prazo.

Análise fundamentalista

Sobre

A PDG está entre as principais construtoras e incorporadoras do país. Fundada em 2003, atua com foco principal no mercado residencial e de maneira complementar nos segmentos comercial e de loteamento. Presente em 9 estados e no Distrito Federal, a PDG atua em todas as fases do processo construtivo, da compra do terreno a construção e assistência pós-venda, atendendo a mais de 103 mil clientes ativos. Desde 2007, negocia suas ações no ambiente da B3 (BM&FBovespa) através do ticker PDGR3.

Pontos positivos

  • Foco no levantamento de caixa e aprovação do Plano de Ação no processo de Recuperação Judicial; Redução das despesas totais em 38% no comparativo anual; Redução no número de distratos do período, 80% inferior no comparativo anual.

Pontos negativos

  • Aumento da dívida líquida decorrente da redução no ritmo de amortização do saldo SFH, além dos juros acumulados no período e da multa e mora em função do pedido de Recuperação Judicial. Nova queda sobre as vendas brutas, 82% inferior no comparativo anual; Aprovação do Plano de Ação do processo de Recuperação Judicial ainda em negociação.

Visão dos Analistas

No terceiro trimestre do ano, a PDG manteve o foco na aprovação do processo de ajuizamento do pedido de Recuperação Judicial registrado no início de 2017, realizando no dia 29 de setembro a apresentação de um novo plano de recuperação judicial com base nas tratativas mantidas entre o Grupo PDG e seus credores. No mercado, a recente melhora dos indicadores econômicos favorecem o setor de construção civil através da flexibilização do crédito imobiliário e aumento no nível de confiança do consumidor. Considerando os desafios econômicos e o processo de Recuperação Judicial em andamento, a PDG enfrenta um grande desafio entre aprovar o plano de ação junto aos seus credores e acompanhar o ritmo de retomada da economia. Por esta razão, mantém-se o ponto de atenção sobre a empresa e a cautela por parte dos investidores. Com a espera da retomada do cenário econômico influenciado pelas recentes quedas das taxas de juros e inflação, a PDG assim como o setor de construção deve se beneficiar através da flexibilização do crédito imobiliário e a recuperação do nível de confiança do consumidor. Mediante ao cenário apresentado, optamos pela manutenção da tendência de baixa no longo prazo. Análise de Resultados 3° Trimestre 2017 No terceiro trimestre de 2017 a receita líquida da companhia foi positiva em R$15milhões, melhora em relação aos R$84 milhões negativos registrados no mesmo período do ano anterior. O Ebitda também apresentou boa recuperação na comparação com o 3T16, porém segue negativo. No trimestre analisado o Ebitda foi negativo em R$132,1 milhões, ante R$1,5 bilhão dos meses de julho a setembro de 2016. A companhia encerrou o trimestre com prejuízo líquido de R$298,2 milhões, uma redução de 83% ante o prejuízo de R$1,3 bilhão no mesmo período do ano anterior. As despesas totais do 3T17, compostas pelas despesas comerciais, gerais e administrativas apresentaram melhora no comparativo anual, somando R$29,3 milhões ante os R$47,1 milhões do ano anterior, registrando uma redução de 38%. Durante o terceiro trimestre de 2017, a PDG manteve uma postura mais conservadora não realizando novos lançamentos, com seus esforços para a estruturação e aprovação do Plano de Recuperação da companhia, com objetivo de reforçar o caixa, focando nas vendas à vista, vendas de unidades sem ônus, além das vendas de unidades cujos recursos possam ser usados para pagar despesas da própria SPE - Sociedade de Pagamento Específico. Dessa maneira, as vendas brutas no 3T17 atingiram R$37 milhões, 90% abaixo do valor registrado no 3T16, reflexo da nova política adotada pela companhia. Os distratos somaram R$76 milhões no 3T17, 80% abaixo do valor registrado no mesmo período do ano anterior, principalmente devido à política de preservação de caixa da PDG que não permitiu a efetivação de todos os distratos no período. Ao final do terceiro trimestre de 2017, o estoque total a valor de mercado totalizou R$2,3 bilhões, 14% abaixo do valor registrado ao final do 3T16. Considerando apenas as unidades concluídas até o final de 2015, a queda do estoque entre o 3T16 e o 3T17 foi de 25% em VGV e de 14% em número de unidades. O banco de terrenos (landbank) da PDG finalizou o trimestre analisado com VGV potencial de R$2,8 bilhões e um total de 8.274 unidades. Os Terrenos que não se enquadram na estratégia da PDG continuarão em processo de venda, auxiliando na aceleração da redução dos custos e na monetização de ativos para desalavancagem e reforço do caixa. O trimestre ainda foi marcado por 355 unidades repassadas, equivalente a um VGV de R$70 milhões, ante R$274 milhões do 3T16, com 1.466 unidades. A desaceleração no volume de unidades repassadas foi reflexo do menor volume de entregas no período, causado pela redução no ritmo das obras, além do menor volume de vendas registradas ao longo do trimestre. No conceito de “alavancagem estendida”, que é a dívida líquida mais custo a incorrer, o endividamento registrou aumento de 3,3% na comparação anual, atingindo no trimestre analisado R$6,2 bilhões, principalmente devido aos juros acumulados no período e a desaceleração no ritmo de obras. Durante o período compreendido entre o pedido de Recuperação Judicial e a aprovação do Plano, além das dívidas à produção, não ocorreram amortizações na maior parte das dívidas. Desta forma, devido à ausência de amortizações e aos juros no período, a dívida líquida aumentou em 3% na comparação entre o 2T17 e 3T17, atingindo R$5,5 bilhões ao final do trimestre analisado. Desde 2014 a companhia conseguiu reduzir a dívida em R$1,5 bilhão.

Número sobre a empresa

Todos os números estão em milhares
Valor
  • Quanto a empresa vale no mercado?
    Preço da Ação
    Número de Ações
    Valor total $479.6B Preço da empresa no mercado de ações
  • Qual o valor do patrimônio líquido da empresa?
    $545.99Ativo total
    892.6MPassivo total
    Valor patrimonial R$ XX,X
  • Qual o valor do patrimônio líquido da empresa?
    $545.99Preço da Ação
    892.6MPatrimônio por Ação
    A empresa vale 50% do seu valor patrimonial
Lucro
  • Quanto a empresa lucra?
    $225.2BReceita líquida
    $95.5BGastos
    Lucro anual $129.7B
    $129.7BLucro
    892.6MNúmero de Ações
    Lucro por Ação $145.30
  • Quanto o lucro representa do preço da Ação?
    $545.99Preço da Ação
    $145.30Lucro por Ação
    A empresa vale 5x seu lucro anual
Dividendos
  • Quanto a empresa distribui para os acionistas?
    $545.99Dividendos pagos
    $545.99Número de Ações
    A empresa distribui R$ 2,20 de dididendos para os acionistas
  • Quanto isso representa do preço da ação?
    $545.99Preço da Ação
    892.6MDividendos por Ação
    A ação distribuiu 4% do seu valor como dividendos em 1 ano
Correlação
  • Quão sensível a ação é à oscilações do Índice Bovespa?
    Beta: 0,5
    Abaixo de 0,7: Pouco sensível
    Entre 0,7 e 1,5: Sensível
    Acima de 1,5: Muito sensível