Tendências

Curto prazo

1 a 5 dias

Médio prazo

5 a 90 dias

Análise técnica

Longo prazo

3 meses a 3 anos

Análise fundamentalista

Análise técnica

11/10/2019 Solicitar análise

No médio prazo, a tendência para os preços da BRF Foods (BRFS3) é de lateralização, já que não há fatores suficientes para se configurar uma tendência de alta ou de baixa neste momento. Pelo fato dos preços não se encontrarem próximos nem de zonas de pressão compradora (suportes) nem de predominância vendedora (resistências), a tendência de curto prazo para a cotação é neutra. Neste contexto, não vemos oportunidades interessantes de compra nem de venda do ativo no momento. Caso os preços venham a subir, existe uma chance razoável de que eles voltem a cair após se aproximar do patamar de resistência em 41,15 representada pela linha vermelha no gráfico. Isso porque na proximidade deste patamar existem muitos investidores interessados em desfazer de seus ativos, o que poderá acarretar o aumento da oferta frente a demanda pelos papéis. Ao mesmo tempo, caso os preços consigam ultrapassar essa resistência com força e convicção (fechamento próximo da máxima e volume acima da média), haverá uma enorme probabilidade de continuação das altas e de retomada da tendência de alta de médio prazo para a BRF Foods (BRFS3). Em um cenário de queda para os preços, um ponto de possível interrupção das quedas ficaria na região de suporte em 36,25 representado pela linha verde no gráfico, onde o aumento da demanda pelos papéis poderia ocasionar a retomada das altas da BRFS3.

2ª Resistência
R$ 45,05
1ª Resistência
R$ 41,15
1º Suporte
R$ 36,25
2º Suporte
R$ 332,55

Avaliar compras

Possíveis oportunidades de compra para as ações da BRF Foods poderão ocorrer caso os preços da ação se aproximem da região de suporte em 36,25 representado pela linha verde no gráfico. Neste patamar, por existirem muitos investidores dispostos a comprar a ação conforme observado no passado, existe boa chance de que os preços parem de cair e retomem as altas. Outro cenário interessante para compras, ocorrerá caso os preços superem a região de resistência em 41,15 com um candle de força e volume financeiro acima da média diária, situação em que seria extremamente provável que os preços continuassem subindo, iniciando uma nova tendência de alta de médio prazo.

Avaliar vendas

As pessoas que têm ações da BRF Foods em carteira visando o curto prazo, deverão avaliar vender ações da empresa na proximidade da resistência em 41,15, já que neste patamar a pressão vendedora deve voltar a se tornar predominante, aumentando a oferta de papéis em relação à demanda e portanto a chance de que ocorra alguma queda para os preços. Outro cenário no qual seria recomendado que se avaliasse a venda das ações, seria no desrespeito do suporte em 36,25, que caso venha aconteça poderia recolocar a ação em tendência de baixa no médio prazo.

Análise fundamentalista

Sobre

A BRF é uma das maiores empresas de alimentos de proteína in natura e congelados do mundo, tendo intensa atuação nacional e presença em mais de 140 países nos 5 continentes. O grupo detém marcas de renome como Sadia, Perdigão, Chester, Perdix, Batavo e Qualy. Conta com mais de 30 plantas em diferentes regiões no Brasil e 47 centros de distribuição, 20 deles no Brasil e 27 no exterior. Essa grande divisão espacial lhe permite custos mais baixos de transporte. A empresa conta com 551 mil entregas mensais, 27 escritórios comerciais no exterior e 9 unidades industriais estrangeiras. O seu foco se concentra no portfólio de cortes suínos e aves.

Pontos positivos

  • Possui marcas fortes. Estrutura logística integrada ao longo da cadeia produtiva, especialmente com centros produtivos estrategicamente próximos a canais de escoamento da produção. Forte processo de internacionalização que dilui riscos de atuação concentrada. Busca por descontinuação de linhas de produtos não rentáveis ao mesmo tempo em que são incrementadas linhas de maior valor agregado. Reavaliação dos embargos da União Europeia as exportações brasileiras sobre carnes suínas. Redução nos preços de commodity (milho e soja) no 1S19, reduz o custo de ração, consequentemente ampliando a margem sobre produto. Efeitos positivos sobre as exportações da companhia causado pela crise da peste suína africana.

Pontos negativos

  • Envolvimento nas operações Lava Jato podem trazer fortes prejuízos para a empresa, além de embargos sanitários. Concorrência no mercado interno é grande. Vários executivos desligados da BRF se empregaram na concorrência, aumentando a inteligência de negócios dos concorrentes e diminuindo da BRF. Embargos a carne de frango na União europeia e algumas restrições sanitárias na Rússia, mercado que tem pago mais que a China.

Visão dos Analistas

<b> Visão da Toro sobre a BR Foods: <font color="green">Compra</font><b> O primeiro semestre de 2019 teve uma atividade econômica aquém do esperado, dessa forma os números provocaram uma revisão nas perspectivas de crescimento do Brasil. Nesse período a BRF manteve a execução do seu plano estratégico para recuperação da rentabilidade da companhia. Após 6 trimestres de prejuízo a companhia conseguiu reverter essa situação e apresentar lucro no 2T19. Além disso, a empresa concretizou seu plano de desalavancagem financeira e ainda está sendo beneficiada pela queda das taxas de juros, fato que torna sua captação e seu endividamento mais barato. Aliado a esse movimento, vemos uma posição de caixa considerável (R$ 7 bilhões) mesmo sem a venda de ativos. Em junho do ano passado a companhia se viu envolvida na Operação Trapaça, terceira fase da Operação Carne Fraca, que revelou um esquema de fraude entre a empresa e laboratórios na análise da bactéria salmonela, destinada ao mercado externo. Esse fato acabou culminando no embargo das exportações brasileiras de 20 plantas de carne de frango, incluindo a companhia. Contudo, a União Europeia deve reavaliar até o fim do ano o plano de ação enviado pelo Ministério da Agricultura que busca retirar o embargo às exportações brasileiras. A companhia já conseguiu a liberação de duas plantas para exportação de carne à China, sendo uma delas a de Lucas do Rio Verde. Por outro lado, a companhia têm sido beneficiada pela queda no preço dos grãos (milho e soja), matéria prima para alimentação de seus rebanhos. Um ponto de atenção diz respeito a crise da peste suína africana na China, maior rebanho de porcos do mundo. Esse surto acaba beneficiando a companhia através do aumento em suas exportações, contudo seu efeito ocorreu apenas no último mês do 2T19, tendo impacto mínimo sobre o resultado trimestral. Além disso, a companhia fez um movimento de expansão em sua produção para atender a maior demanda externa, o que pode gerar uma maior capacidade ociosa ao fim da crise internacional, dado que o problema é temporal. Nesse cenário é ideal que a BRF evite aumentos drásticos de produção de frango e suínos. Além disso, a companhia possui um negócio cíclico e que deve ser levado em consideração pelo investidor. Sendo assim, acreditamos que a BRF está bem posicionada para se beneficiar da elevação do preço da proteína animal diante de uma maior demanda para exportação. Portanto, os fatores descritos na análise devem provocar uma melhora nas margens e rentabilidade da empresa. Nesse momento, uma parte considerável do que aqui foi exposto já foi precificado pelo mercado, o preço da ação da BRF (BRFS3) subiu mais que 75% neste ano, saindo da região de R$ 21,00 para próximo de R$ 38,00. Acreditamos na continuidade da tendência de alta para a empresa, com recomendação de compra até o preço limite de R$ 35,00 e preço alvo de R$ 46,00. Dessa forma e com as justificativas aqui expressas, observamos uma tendência de alta para o papel da BR Foods no longo prazo diante das boas expectativas para a companhia. <b> Visão da Toro sobre o Resultado do 2T19: <font color="green">Positiva</font><b> O lucro apresentado pela empresa após 6 trimestres de prejuízo foi um dos fatores que mais ecoaram no resultado da BR Foods (BRFS3). O lucro líquido, no 2T19, foi favorecido pela retomada das exportações de carne de frango e pelos reajustes de preços internos, somando R$191 milhões ante prejuízo de R$1,47 milhão no ano anterior. Outro ponto de destaque no resultado da companhia foi o seu índice de alavancagem financeira que teve não apenas redução significativa no período (saiu de 5,64x para 3,74x), como na sua meta para o fim do ano e para 2020. Além disso, a BRF apresentou crescimento de 33,9% em seu lucro operacional, medido pelo Ebitda ajustado, alcançando a faixa de R$1,55 bilhão. Houve uma expansão do preço médio de venda da companhia em mais de 17%, fato que contribuiu para o lucro da BRF mas, por outro lado, reduziu a participação de mercado da Sadia e da Perdigão, principais marcas da empresa. O preço dos grãos mostraram queda de 13% no 1S19, o que beneficia as perspectivas de custos para o 2S19. Além disso, a companhia possui segurança de abastecimento até o 1T20 através da ampliação dos estoques de milho. Os eventos climáticos adversos nos EUA resultaram em atrasos no plantio das lavouras impactando o resultado da BR Foods. O atual cenário é favorável para a BRF se recuperar. No que diz respeito aos custos de produção, o milho, principal ingrediente para ração de aves e suínos, mostra queda no país, mostrando efeitos diretos sobre o resultado da companhia. O ideal para a empresa seria aproveitar esse ciclo favorável e reduzir seu endividamento que atualmente se encontra na casa de R$13,9 bilhões. Sendo assim, acreditamos que a BRF está bem posicionada para se beneficiar da elevação do preço da proteína animal diante de uma maior demanda para exportação e da redução dos custos, que envolve a queda no preço dos grãos. Portanto, ambos os fatores devem provocar uma melhora nas margens e rentabilidade da empresa.

Número sobre a empresa

Todos os números estão em milhares
Valor
  • Quanto a empresa vale no mercado?
    Preço da Ação
    Número de Ações
    Valor total $479.6B Preço da empresa no mercado de ações
  • Qual o valor do patrimônio líquido da empresa?
    $545.99Ativo total
    892.6MPassivo total
    Valor patrimonial R$ XX,X
  • Qual o valor do patrimônio líquido da empresa?
    $545.99Preço da Ação
    892.6MPatrimônio por Ação
    A empresa vale 50% do seu valor patrimonial
Lucro
  • Quanto a empresa lucra?
    $225.2BReceita líquida
    $95.5BGastos
    Lucro anual $129.7B
    $129.7BLucro
    892.6MNúmero de Ações
    Lucro por Ação $145.30
  • Quanto o lucro representa do preço da Ação?
    $545.99Preço da Ação
    $145.30Lucro por Ação
    A empresa vale 5x seu lucro anual
Dividendos
  • Quanto a empresa distribui para os acionistas?
    $545.99Dividendos pagos
    $545.99Número de Ações
    A empresa distribui R$ 2,20 de dididendos para os acionistas
  • Quanto isso representa do preço da ação?
    $545.99Preço da Ação
    892.6MDividendos por Ação
    A ação distribuiu 4% do seu valor como dividendos em 1 ano
Correlação
  • Quão sensível a ação é à oscilações do Índice Bovespa?
    Beta: 0,5
    Abaixo de 0,7: Pouco sensível
    Entre 0,7 e 1,5: Sensível
    Acima de 1,5: Muito sensível