Tendências

Curto prazo

1 a 5 dias

Médio prazo

5 a 90 dias

Análise técnica

Longo prazo

3 meses a 3 anos

Análise fundamentalista

Análise técnica

21/08/2019 Solicitar análise

No médio prazo, a tendência para os preços da Cyrela (CYRE3) é de lateralização, já que não há fatores suficientes para se configurar uma tendência de alta ou de baixa neste momento. Pelo fato dos preços não se encontrarem próximos nem de zonas de pressão compradora (suportes) nem de predominância vendedora (resistências), a tendência de curto prazo para a cotação é neutra. Neste contexto, não vemos oportunidades interessantes de compra nem de venda do ativo no momento. Caso os preços venham a subir, existe uma chance razoável de que eles voltem a cair após se aproximar do patamar de resistência em 26,35 representada pela linha vermelha no gráfico. Isso porque na proximidade deste patamar existem muitos investidores interessados em desfazer de seus ativos, o que poderá acarretar o aumento da oferta frente a demanda pelos papéis. Ao mesmo tempo, caso os preços consigam ultrapassar essa resistência com força e convicção (fechamento próximo da máxima e volume acima da média), haverá uma enorme probabilidade de continuação das altas e de retomada da tendência de alta de médio prazo para a Cyrela (CYRE3). Em um cenário de queda para os preços, um ponto de possível interrupção das quedas ficaria na região de suporte em 23,30 representado pela linha verde no gráfico, onde o aumento da demanda pelos papéis poderia ocasionar a retomada das altas da CYRE3.

2ª Resistência
R$
1ª Resistência
R$ 26,35
1º Suporte
R$ 23,30
2º Suporte
R$ 321,80

Avaliar compras

Possíveis oportunidades de compra para as ações da Cyrela poderão ocorrer caso os preços da ação se aproximem da região de suporte em 23,30 representado pela linha verde no gráfico. Neste patamar, por existirem muitos investidores dispostos a comprar a ação conforme observado no passado, existe boa chance de que os preços parem de cair e retomem as altas. Outro cenário interessante para compras, ocorrerá caso os preços superem a região de resistência em 26,35 com um candle de força e volume financeiro acima da média diária, situação em que seria extremamente provável que os preços continuassem subindo, iniciando uma nova tendência de alta de médio prazo.

Avaliar vendas

As pessoas que têm ações da Cyrela em carteira visando o curto prazo, deverão avaliar vender ações da empresa na proximidade da resistência em 26,35, já que neste patamar a pressão vendedora deve voltar a se tornar predominante, aumentando a oferta de papéis em relação à demanda e portanto a chance de que ocorra alguma queda para os preços. Outro cenário no qual seria recomendado que se avaliasse a venda das ações, seria no desrespeito do suporte em 23,30, que caso venha aconteça poderia recolocar a ação em tendência de baixa no médio prazo.

Análise fundamentalista

Sobre

A Cyrela ocupa uma posição entre as maiores incorporadoras do País com atuação no segmento de alta renda e luxo. Com mais de 50 anos de existência, atua em todas a etapas do negócio, seja de forma independente ou através de parcerias na incorporação, construção, venda e prestação de serviços. A Companhia controla ainda a Cyrela Urbanismo, com foco em projetos completos para classe média, a Living, que atua no segmento super econômico e a Vivaz que atua em parceria com o Programa Minha Casa Minha Vida. Atualmente, a Empresa está presente em 16 estados brasileiros e no Distrito Federal.

Pontos positivos

  • Operação diversificada em setores de alta, média e baixa renda. Sequência de queda na taxa de juros, favorecendo a retomada do crédito de longo prazo. Aumento no número de lançamentos, impulsionando as vendas e consequentemente a receita. Cultura de preservação da liquidez e controle da alavancagem financeira dentro de níveis saudáveis.

Pontos negativos

  • A piora no cenário para incorporadoras voltadas para alta renda e luxo. Insegurança do investidor ainda elevada e crédito imobiliário limitado apesar da redução das taxas de juros e inflação. Expectativas deterioradas para a construção civil e para o crescimento da economia brasileira impactam as métricas da Empresa.

Visão dos Analistas

O primeiro trimestre de 2019 foi marcado por um esfriamento no clima otimista do mercado, tendo em vista que as primeiras dificuldades na aprovação da reforma da Previdência jogaram as estimativas anteriores para baixo, assim como dados do desemprego ainda em alta, indústria performando mal e índice de confiança do consumidor abaixo das expectativas. A Cyrela vem apresentando evolução nas métricas operacionais, mesmo com um cenário ainda desafiador para o setor. Vimos neste trimestre crescimento de 26% do Valor Geral de Vendas (VGV) nos lançamentos, evolução de 44% nas unidades vendidas em relação ao 1T18, com a velocidade de vendas apresentando avanço. Em comparação com o prejuízo apresentado no primeiro trimestre do ano passado, a Cyrela apresentou um lucro líquido de R$48 milhões. Neste trimestre a Companhia apresentou pela primeira vez desde o 2T17, um ROE positivo de 0,3%, contudo ainda é pouco comparado a tempos melhores para o setor. Em atenção à evolução nos resultados da Cyrela dos próximos trimestres mantemos a tendência do papel como Neutra. ANÁLISE DE RESULTADOS 1º TRIMESTRE DE 2019 No primeiro trimestre de 2019, a receita líquida totalizou R$826 milhões, aumento de 83% em relação ao 1T18, reflexo do maior volume de reconhecimentos de lançamentos do período e da melhora da venda líquida de estoques. Os custos também se elevaram no trimestre, saltando 77,2%, de R$326 milhões para R$577 milhões. A margem bruta foi de 30,1%, 2,4 p.p. maior dos 27,7% do mesmo trimestre do ano passado. Pontos de atenção ficam para os níveis dos distratos e a realização de descontos na comercialização, que podem seguir pressionando a margem bruta. Na linha de despesas comerciais, a Cyrela também registrou um aumento, de 20% na comparação com o 1T18, em função da rubrica Estande de Vendas, por baixas de estandes encerrados. Apesar disso, as despesas acabaram sendo diluídas devido ao maior crescimento da receita (ao contrário dos custos). Já as despesas gerais e administrativas apresentaram queda de 20%, atingindo R$79 milhões. O resultado financeiro também apresentou queda frente ao resultado positivo no 1T18, comparando os mesmos períodos, passando de R$2,8 milhões para R$1,9 milhão, fruto do ganho de R$12,5 milhões decorrentes da marcação a mercado de operações de Swap de taxa de juros de empréstimos e financiamentos. Em sua última linha das demonstrações de resultados, a Cyrela registrou um lucro líquido de R$48 milhões no trimestre analisado, ante um prejuízo de R$51 milhões no 1T18. Em relação aos dados operacionais, o número de lançamentos da Cyrela no 1T19 foi de 9 empreendimentos, acima dos 6 empreendimentos lançados no 1T18, tendo o valor geral de vendas (VGV) lançado crescido 26%. Dessa forma, as vendas totais aumentaram 70,3%, para R$1,04 bilhão. Interessante observar que 27% das vendas totais foram de lançamentos, enquanto de estoque pronto foi 73%, mostrando melhoria na redução dos estoques. A Cyrela conseguiu atingir uma velocidade de vendas (VSO) 12 meses de 49,6%, acima dos 35,2% do registrado no 1T18. O estoque a valor de mercado no 1T19 em R$5,0 bilhões, enquanto o landbank apresenta um VGV de R$41 bilhões. Em 31 de março de 2019, a dívida bruta foi mensurada em R$2,1 bilhões, queda de 11,2% em relação aos R$2,4 bilhões registrados ao final do 4T18. Por sua vez, a dívida líquida caiu 18,3%, comparando os mesmos períodos, atingindo R$670 milhões. Aproximadamente 87% das obrigações estão voltadas para o longo prazo e a parcela restante para o curto prazo, sendo o prazo médio da dívida de 3 anos. As disponibilidades são mais do que suficientes para cobrir a dívida de curto prazo, o que proporciona maior conforto quanto ao endividamento. A alavancagem financeira, medida por meio da dívida líquida/Patrimônio Líquido, atingiu 12,0% no trimestre analisado, uma queda de 2,8 p.p. frente ao trimestre imediatamente anterior.

Número sobre a empresa

Todos os números estão em milhares
Valor
  • Quanto a empresa vale no mercado?
    Preço da Ação
    Número de Ações
    Valor total $479.6B Preço da empresa no mercado de ações
  • Qual o valor do patrimônio líquido da empresa?
    $545.99Ativo total
    892.6MPassivo total
    Valor patrimonial R$ XX,X
  • Qual o valor do patrimônio líquido da empresa?
    $545.99Preço da Ação
    892.6MPatrimônio por Ação
    A empresa vale 50% do seu valor patrimonial
Lucro
  • Quanto a empresa lucra?
    $225.2BReceita líquida
    $95.5BGastos
    Lucro anual $129.7B
    $129.7BLucro
    892.6MNúmero de Ações
    Lucro por Ação $145.30
  • Quanto o lucro representa do preço da Ação?
    $545.99Preço da Ação
    $145.30Lucro por Ação
    A empresa vale 5x seu lucro anual
Dividendos
  • Quanto a empresa distribui para os acionistas?
    $545.99Dividendos pagos
    $545.99Número de Ações
    A empresa distribui R$ 2,20 de dididendos para os acionistas
  • Quanto isso representa do preço da ação?
    $545.99Preço da Ação
    892.6MDividendos por Ação
    A ação distribuiu 4% do seu valor como dividendos em 1 ano
Correlação
  • Quão sensível a ação é à oscilações do Índice Bovespa?
    Beta: 0,5
    Abaixo de 0,7: Pouco sensível
    Entre 0,7 e 1,5: Sensível
    Acima de 1,5: Muito sensível