Tendências

Curto prazo

1 a 5 dias

Médio prazo

5 a 90 dias

Análise técnica

Longo prazo

3 meses a 3 anos

Análise fundamentalista

Análise técnica

23/08/2019 Solicitar análise

No médio prazo (de 5 dias a 3 meses) as cotações da Cielo (CIEL3) continuam em tendência de alta, já que os preços do ativo seguem formando topos e fundos cada vez em patamares mais elevados e apresenta as médias móveis ascendentes. Outro fator positivo é o volume financeiro, que permanece sendo maior nos dias de alta do que nos dias de queda, reforçando a saúde da tendência de alta de médio prazo. Corroborando a tendência de valorização dos preços no médio prazo, tivemos recentemente o rompimento de importante resistência, reforçando a perspectiva de que a força compradora siga preponderante frente aos vendedores. Depois de ter realizado o rompimento descrito acima, o preço dos ativos da Cielo (CIEL3) recuaram de maneira a se aproximar da zona de suporte mais próxima em 7,60, patamar onde existem muitos investidores dispostos a comprar o ativo, aumentando a demanda pelo papel e gerando uma grande chance de alta para os preços já nos próximos dias. Neste contexto, a proximidade do suporte mais próximo em 7,60 depois do sinal positivo gerado pelo rompimento da resistência, criam uma enorme probabilidade de que os preços venham a se valorizar no curto prazo.

2ª Resistência
R$ 9,55
1ª Resistência
R$ 8,40
1º Suporte
R$ 7,60
2º Suporte
R$ 37,20

Avaliar compras

Frente aos fatores apresentados acima, acreditamos que exista uma boa oportunidade de compra neste momento nas ações da Cielo. A compra deveria ser feita na região próxima do suporte em 7,60.

Avaliar vendas

Caso os preços da empresa desrespeitem o suporte em 7,20 a tendência de alta de médio prazo seria colocada em dúvida e a perspectiva de alta no curto prazo também seria desconfigurada. Neste contexto, caso isso ocorra recomendamos que se avalie vender as ações da empresa que estiverem em carteira.

Análise fundamentalista

Sobre

A Cielo surgiu em 1995 quando uma série de grandes bancos e a Visa Internacional se uniram para criar a Companhia Brasileira de Meio de Pagamentos que veio a se transformar na Cielo ao final de 2009. A proposta da companhia era centralizar a rede de relacionamento com afiliados em todo o Brasil reduzindo custos e otimizando a margem. Atualmente, a companhia opera as bandeiras Visa, Mastercard, American Express, Diners Club International, JCB (Japan Credit Bureau), Elo e outras bandeiras de menor circulação. A empresa tem presença internacional e participação em diversas empresas que atuam na cadeia de processamento de pagamentos.

Pontos positivos

  • O aumento no volume de transações acompanha os sinais de recuperação da economia. Posição de liderança na indústria nacional, que mantém escala nos volumes financeiros de transação. Mantém grande sinergia com alguns de seus principais acionistas, notadamente o Banco do Brasil e o Bradesco. Grande capilaridade através da rede de afiliados e do cartão Cielo. Criação de nova linha “Stelo” com a nova política de preços para competir diretamente com novos concorrentes e crescimento na vendas de máquinas.

Pontos negativos

  • Últimos resultados apontam declínio no crescimento da Companhia. Apesar dos clientes ativos voltarem a crescer, preços derrubam margens. Mercado comoditizado, retirando foco na qualidade do serviço prestado para competição em preços. Nova política de preços e necessidades de intensificação nas ações de marketing reduzem as margens da Companhia. As recentes reduções nas taxas de juros prejudicam as receitas de antecipação de recebíveis, uma vez que são proporcionais à taxa básica de juros. Aumento no volume do débito e pagamento à vista devido a lei de “Pagamento Diferenciado”.

Visão dos Analistas

<b> Visão da Toro sobre a Cielo: <font color="grey">Neutra</font><b> O mercado de adquirência passa por um momento de extrema competição num ambiente onde a Cielo liderava com folga. Hoje temos visto a briga por preços reduzindo fortemente a margem da Companhia, além de um mix de perda de participação de mercado e aumento em custos comerciais, prova disso é o yield da receita líquida (métrica de rentabilidade da Cielo) que registrou 0,82% nível cada vez mais baixo desde o início do declínio no 4T16 que registrava 1,19%. Os números da Companhia a cada trimestre vem mostrando perda significativa de lucratividade e rentabilidade, por isso, a Cielo hoje é um caso em que nos questionamos constantemente sobre a continuidade da Companhia no longo prazo, haja visto que o segmento já não é mais lucrativo como antes e os avanços tecnológicos nos meios de pagamentos digitais colocam em cheque a venda e aluguel das maquininhas. Apesar do clima de luto no mercado para a Companhia, Cielo ainda é líder no setor de adquirência focado em clientes de grande porte e ainda consegue ganhar em escala no volume financeiro das transações, onde seus principais concorrentes são a Rede (Itaú) e Stone. A Cielo que é controlada por dois bancos, Bradesco e Banco do Brasil, demorou para atacar na queda dos preços e tem respondido costumeiramente depois que alguma concorrente anuncia alguma novidade. A demora de contra-ataque e um histórico fraco em soluções tecnológicas nos preocupa. Por esses fatores consideramos nossa recomendação para CIEL3 como neutra, haja visto que o papel mostra múltiplos muito baixos e que a guerra das maquininhas ainda está longe de acabar, por enquanto vamos ver o quanto Cielo pode aguentar. <b> Visão da Toro sobre o Resultado do 2T19: <font color="red">Negativa</font><b> Os resultados do 2º trimestre de Cielo vieram ruins, a Companhia apresentou queda de 33,3% no lucro líquido frente ao 2T18, sua margem líquida que vem sendo espremida a cada resultado devido ao ambiente competitivo, caiu 6,7 p.p. indo para 15,4%. Dentro das causas para esses números, os fatores continuam sendo os mesmos que nos trimestres anteriores. Primeiro, a competição por preços no segmento vem pressionando sua receita operacional líquida que registrou R$ 2,8 bilhões, uma queda de 4,4% ante ao 2T18. Segundo, os gastos totais aumentaram 13,3%, com aumento de custos ligados ao volume transacionado e a expansão na atuação comercial desde janeiro com aumento de vendedores. Apesar do resultado decepcionante, observamos evolução importante no volume financeiro de transações que aumento de 8,9% na comparação com o 2T18 e também na base ativa de clientes que registrou 1,4 milhão, aumento de 14,4%. O volume financeiro foi beneficiado pelo ambiente econômico levemente maior que ao primeiro semestre do ano passado, já o número de clientes é reflexo das ações que a Cielo vem fazendo para manter sua posição de liderança no segmento de adquirência, como a redução nos preços, data de pagamento em dois dias e reforço ao atendimento aos microempreendedores com a marca Stelo.

Número sobre a empresa

Todos os números estão em milhares
Valor
  • Quanto a empresa vale no mercado?
    Preço da Ação
    Número de Ações
    Valor total $479.6B Preço da empresa no mercado de ações
  • Qual o valor do patrimônio líquido da empresa?
    $545.99Ativo total
    892.6MPassivo total
    Valor patrimonial R$ XX,X
  • Qual o valor do patrimônio líquido da empresa?
    $545.99Preço da Ação
    892.6MPatrimônio por Ação
    A empresa vale 50% do seu valor patrimonial
Lucro
  • Quanto a empresa lucra?
    $225.2BReceita líquida
    $95.5BGastos
    Lucro anual $129.7B
    $129.7BLucro
    892.6MNúmero de Ações
    Lucro por Ação $145.30
  • Quanto o lucro representa do preço da Ação?
    $545.99Preço da Ação
    $145.30Lucro por Ação
    A empresa vale 5x seu lucro anual
Dividendos
  • Quanto a empresa distribui para os acionistas?
    $545.99Dividendos pagos
    $545.99Número de Ações
    A empresa distribui R$ 2,20 de dididendos para os acionistas
  • Quanto isso representa do preço da ação?
    $545.99Preço da Ação
    892.6MDividendos por Ação
    A ação distribuiu 4% do seu valor como dividendos em 1 ano
Correlação
  • Quão sensível a ação é à oscilações do Índice Bovespa?
    Beta: 0,5
    Abaixo de 0,7: Pouco sensível
    Entre 0,7 e 1,5: Sensível
    Acima de 1,5: Muito sensível