Tendências

Curto prazo

1 a 5 dias

Médio prazo

5 a 90 dias

Análise técnica

Longo prazo

3 meses a 3 anos

Análise fundamentalista

Análise técnica

15/10/2019 Solicitar análise

No médio prazo, a tendência para os preços da Banco Bradesco (BBDC4) é de lateralização, já que não há fatores suficientes para se configurar uma tendência de alta ou de baixa neste momento. Pelo fato dos preços não se encontrarem próximos nem de zonas de pressão compradora (suportes) nem de predominância vendedora (resistências), a tendência de curto prazo para a cotação é neutra. Neste contexto, não vemos oportunidades interessantes de compra nem de venda do ativo no momento. Caso os preços venham a subir, existe uma chance razoável de que eles voltem a cair após se aproximar do patamar de resistência em 35,00 representada pela linha vermelha no gráfico. Isso porque na proximidade deste patamar existem muitos investidores interessados em desfazer de seus ativos, o que poderá acarretar o aumento da oferta frente a demanda pelos papéis. Ao mesmo tempo, caso os preços consigam ultrapassar essa resistência com força e convicção (fechamento próximo da máxima e volume acima da média), haverá uma enorme probabilidade de continuação das altas e de retomada da tendência de alta de médio prazo para a Banco Bradesco (BBDC4). Em um cenário de queda para os preços, um ponto de possível interrupção das quedas ficaria na região de suporte em 31,20 representado pela linha verde no gráfico, onde o aumento da demanda pelos papéis poderia ocasionar a retomada das altas da BBDC4.

2ª Resistência
R$ 37,15
1ª Resistência
R$ 35,00
1º Suporte
R$ 31,20
2º Suporte
R$ 329,80

Avaliar compras

Possíveis oportunidades de compra para as ações da Banco Bradesco poderão ocorrer caso os preços da ação se aproximem da região de suporte em 31,20 representado pela linha verde no gráfico. Neste patamar, por existirem muitos investidores dispostos a comprar a ação conforme observado no passado, existe boa chance de que os preços parem de cair e retomem as altas. Outro cenário interessante para compras, ocorrerá caso os preços superem a região de resistência em 35,00 com um candle de força e volume financeiro acima da média diária, situação em que seria extremamente provável que os preços continuassem subindo, iniciando uma nova tendência de alta de médio prazo.

Avaliar vendas

As pessoas que têm ações da Banco Bradesco em carteira visando o curto prazo, deverão avaliar vender ações da empresa na proximidade da resistência em 35,00, já que neste patamar a pressão vendedora deve voltar a se tornar predominante, aumentando a oferta de papéis em relação à demanda e portanto a chance de que ocorra alguma queda para os preços. Outro cenário no qual seria recomendado que se avaliasse a venda das ações, seria no desrespeito do suporte em 31,20, que caso venha aconteça poderia recolocar a ação em tendência de baixa no médio prazo.

Análise fundamentalista

Sobre

O Bradesco é um dos maiores bancos privados do país e possui uma ampla rede de agências e serviços, que lhe permite abranger uma gama de clientes diversificada. Seus produtos e serviços se concentram em operações bancárias, tais como: operações de crédito e captação de depósitos, emissão de cartões de crédito, consórcios, seguros, arrendamento mercantil, cobrança e processamento de pagamentos, planos de previdência complementar, gestão de ativos e serviços de intermediação e corretagem de valores mobiliários. O grupo Bradesco também tem posição de destaque em outros segmentos em que atua. Nos ramos de seguros, previdência, saúde suplementar, leasing e capitalização, as subsidiárias do Banco encontram-se entre os maiores players brasileiros.

Pontos positivos

  • Apresentação de lucros crescentes, com evolução da margem financeira com o mercado, principalmente. Expansão da carteira de crédito atrelada à redução da PDD expandida. Evolução do ROAE, mostrando a capacidade do Banco em gerar lucro a partir dos seus próprios recursos. Evolução das plataformas e serviços digitais ofertados, em reação aos bancos digitais e fintechs. Pagamento periódico de remuneração aos acionistas sob a forma de juros sobre capital próprio (JCP).

Pontos negativos

  • Pequeno crescimento da receita advinda de prestação de serviços, podendo sinalizar um acirramento da competitividade com bancos digitais e fintechs. Mesmo com a redução da inadimplência do Banco, ela permanece maior em comparação aos seus pares. O Índice de Eficiência Operacional (IEO) permanece maior do que os principais pares, impactado pelo crescimento das despesas variáveis relacionadas ao desempenho dos resultados.

Visão dos Analistas

<b> Visão da Toro sobre a Companhia: <font color="green">Compra</font><b> Acreditamos que o setor bancário continua a ter lugar de destaque em uma carteira de longo prazo. O Banco Bradesco, mesmo sendo um dos maiores bancos brasileiros, consegue expandir significativamente o seu lucro trimestre após trimestre. Parte desses lucros é distribuída aos acionistas em forma de juros sobre capital próprio (JCP) mensais, complementares e intermediários. O movimento de queda nos juros brasileiros fez com que a margem financeira com clientes se contraísse, mesmo que de forma sutil. Entretanto, a margem permanece em níveis interessantes, alinhados com seus principais pares de mercado. O ROAE (retorno médio sobre o patrimônio líquido), que mensura a capacidade da Empresa em gerar lucro a partir dos seus próprios recursos, também é um ponto forte do Bradesco. Mesmo que não seja o maior do setor, o ROAE é bastante elevado e é possível observar o seu crescimento ao longo dos trimestres. Recentemente, observamos o surgimento e o crescimento de bancos digitais e fintechs. Geralmente elas têm como prática a não cobrança de tarifas bancárias e/ou de utilização de cartão de crédito. Caso a concorrência venha a se acirrar, a receita de prestação de serviços do Bradesco pode diminuir. De toda forma, o Banco lançou em 2017 a plataforma digital Next, visando atender essa gama de clientes. É possível observar que a quantidade de transações, a base de clientes e o respectivo engajamento vêm crescendo ao longo do tempo, muito em função do aumento das funcionalidades. Ainda no contexto do mundo digital, houve o lançamento da BIA (Bradesco Inteligência Artificial), com crescente número de interações e produtos no qual atua. Por fim, o Banco vem diminuindo o número de agências físicas com o intuito de diminuir seus custos fixos e aumentar a eficiência dos gastos. <b> Visão da Toro sobre o Resultado do 2T19: <font color="green">Positiva</font><b> Os resultados do 2º trimestre de 2019 do Bradesco trouxeram números positivos, mas dentro do esperado. O Banco registrou lucro líquido recorrente trimestral de R$6,46 bilhões, uma alta de 25,2% em relação àquele apurado no 2T18. O lucro teve forte influência da margem praticada com o mercado (crescimento de 25,9%) e do resultado das operações de seguros, previdência e capitalização (crescimento de 11,6%). A carteira de crédito voltada para pessoas físicas cresceu 14,8% na comparação trimestral e passou a corresponder por 37,4% do total da carteira. Por outro lado, a carteira de pessoas jurídicas avançou 5,4%. A PDD expandida apresentou recuo de 0,10% mesmo com o crescimento significativo da carteira de crédito, sinalizando para a continuidade da sua melhora. A receita de prestação de serviços cresceu apenas 1,3%, mesmo com o crescimento de 3,9% dos correntistas do Banco entre o 2T18 e o 2T19. Isso pode dar indícios do acirramento da concorrência com os bancos digitais e as fintechs. O índice de inadimplência acima de 90 dias foi de 3,23% no 2T19, apresentando uma queda de 0,67 p.p. em comparação ao 2T18. Apesar do Índice ainda estar acima dos seus principais pares de mercado, ele segue em queda, com destaque para o segmento de grandes empresas, que apresentou queda de 0,90 p.p. Por sua vez, o ROAE do Bradesco foi de 20,6%, o que corresponde a uma alta de 2,2 p.p. em relação ao 2T18, e está bem acima do CDI registrado no período (6,5% a.a.). O Índice de Eficiência Operacional (IEO) acumulado de 12 meses permaneceu estável em 49,4%. Porém, na comparação com os principais pares de mercado, o IEO do Bradesco está maior (quanto maior, pior).

Número sobre a empresa

Todos os números estão em milhares
Valor
  • Quanto a empresa vale no mercado?
    Preço da Ação
    Número de Ações
    Valor total $479.6B Preço da empresa no mercado de ações
  • Qual o valor do patrimônio líquido da empresa?
    $545.99Ativo total
    892.6MPassivo total
    Valor patrimonial R$ XX,X
  • Qual o valor do patrimônio líquido da empresa?
    $545.99Preço da Ação
    892.6MPatrimônio por Ação
    A empresa vale 50% do seu valor patrimonial
Lucro
  • Quanto a empresa lucra?
    $225.2BReceita líquida
    $95.5BGastos
    Lucro anual $129.7B
    $129.7BLucro
    892.6MNúmero de Ações
    Lucro por Ação $145.30
  • Quanto o lucro representa do preço da Ação?
    $545.99Preço da Ação
    $145.30Lucro por Ação
    A empresa vale 5x seu lucro anual
Dividendos
  • Quanto a empresa distribui para os acionistas?
    $545.99Dividendos pagos
    $545.99Número de Ações
    A empresa distribui R$ 2,20 de dididendos para os acionistas
  • Quanto isso representa do preço da ação?
    $545.99Preço da Ação
    892.6MDividendos por Ação
    A ação distribuiu 4% do seu valor como dividendos em 1 ano
Correlação
  • Quão sensível a ação é à oscilações do Índice Bovespa?
    Beta: 0,5
    Abaixo de 0,7: Pouco sensível
    Entre 0,7 e 1,5: Sensível
    Acima de 1,5: Muito sensível