*15 min de atraso
VALE3

CotaçãoVALE3

0%
R$ 0

Cotação Vale

Min. 0
Máx. 0
Abert. 0
Fech. 0
Dia 0%
Semana 0%
Mês 0%
Ano 0%

Gráfico de ações VALE3

Ver em tempo real

Tendências VALE3

Tendências

Análise técnica VALE3

Aprenda Grátis a Investir em Ações na Prática

Cursos para todos os níveis e sobre todos os temas

fundamentalista - Vale

Sobre


A Vale é uma das principais empresas brasileiras e uma das maiores mineradoras do mundo, estando entre as 3 primeiras no ranking.

Seu valor de mercado também é um dos maiores entre as empresas do país, tendo alcançado a marca de R$81,95 bilhões em 31/10/2015.

Entre os produtos da mineradora estão:

  • minério de ferro (maior produtora do mundo);
  • pelotas (maior produtora do mundo);
  • níquel (maior produtora do mundo);
  • carvão (metalúrgico e térmico);
  • rocha fosfática;
  • fertilizantes em geral;
  • manganês;
  • cobalto;
  • potássio;
  • cobre;
  • ferro ligas.

A VALE5 também é uma das maiores empresas do setor privado negociadas no mundo, tendo suas ações comercializadas em três outras bolsas além da brasileira: Nova Iorque, Paris e Hong Kong.

A empresa foi fundada em 1942 e foi registrada pela primeira vez na bolsa de valores do Rio de Janeiro em 1943, porém só foi registrada na Bovespa no ano de 1968.

A partir do ano 2000 a VALE5 começou a ingressar nas bolsas internacionais.

Entre os maiores consumidores de seus produtos está a China, fator que faz com que o mercado do país e sua bolsa de valores influenciem diretamente a empresa.

A grande maioria da produção da Vale têm como destino:

  • Ásia com 53,6% da produção, na maioria para a China;
  • América do Sul com 19,5% da produção;
  • Europa com 16,8% da produção.

A empresa ainda conta com 13 empresas controladas em seu grupo e mais 11 empresas coligadas.

Está presente em cerca de 30 países, 14 estados brasileiros, e tem o maior projeto da indústria da mineração no mundo previsto para entrar em operação plena no segundo semestre de 2016.

Análise de VALE5: veja abaixo tudo sobre essa ação.

Visão dos analistas


Análise da Vale: O que você não pode deixar de saber

Por ser uma empresa produtora de matéria-prima, a cotação da Vale é influenciada por diversos fatores de risco.

Como principais fatores de risco, podemos citar:

  • influência dos ciclos econômicos globais e de fluxo de produção e preço do que é produzido;
  • baixo controle sobre volatilidade dos preços dos produtos da empresa, por serem commodities.

Além disso, diante do grande impacto ambiental da atividade de mineração, é classificado como um importante risco o fato de autorizações, licenças e permissões serem sujeitas a vencimento, limitação e renovação.

Um exemplo desses riscos é a situação econômica da China. Como o país é o principal consumidor dos produtos da Vale, a queda de sua demanda implica em redução do consumo e consequente impacto relevante para companhia. Assim, mesmo que a empresa mantenha um bom ritmo de produção e redução de custos, os produtos podem ficar estocados e sem compradores, o que implica negativamente nas cotações VALE5.

Neste semestre, a China bateu recordes em emissão de bonds governamentais. A expansão do crédito foi responsável por um crescimento nos investimentos em infraestrutura e no setor imobiliário, aquecimento benéfico à Vale.

Outro exemplo é a cotação dos próprios produtos da mineradora. Como são considerados commodities, eles sofrem volatilidade do mercado e isso influencia e determina os preços da companhia efetivamente mais do que sua atuação. Ou seja, se a cotação do minério de ferro sofre queda, a análise de VALE5 pode apresentar consequentemente uma possível perspectiva de queda. Atualmente é fácil perceber esse cenário no gráfico de VALE5, o qual é responsável por consecutivas altas na cotação da commodity.

Além disso, a empresa também sofre com o impacto do câmbio, sendo que grande parte de sua dívida é cotada em dólar. Portanto a alta do dólar influencia mais em custos que em receita, o que é um ponto negativo.

Apesar disso, a análise da Vale feita pelo Toro Radar é de que a companhia tem uma gestão de alta qualidade, é referência em práticas de governança corporativa, e possui ativos de alto valor, o que faz com que a empresa tenha potencial de se recuperar de momentos desafiadores do mercado e da forte pressão da queda dos preços do minério de ferro, podendo ainda gerar lucros aos acionistas no longo prazo.

Outras vantagens da companhia são:

  • o fato de seu minério de ferro ser considerado de alta qualidade e com reservas inexploradas;
  • sua presença global com extração em diversos continentes (o que mitiga risco geográfico);
  • a diversificação da sua receita através da expansão da divisão de fertilizantes.

Portanto você pode ver no gráfico da Vale acima que mesmo enfrentando momento desafiador no mercado a empresa apresenta cenário favorável no longo prazo.

Dessa forma, para investir na companhia visando o longo prazo é recomendável, dado que em uma visão de longo prazo a perspectiva é que os papéis da empresa permaneçam se valorizando.

Números sobre a empresa


Valor

Quanto a empresa vale no mercado?
Preço da Ação
Número de Ações
Valor total $ 273.337.485 Preço da empresa no mercado de ações
Qual o valor do patrimônio líquido por ação da empresa?
Ativo total
Passivo total
Valor patrimonial por ação R$ 31,49
Quanto a empresa vale em relação ao patrimonio líquido?
$ 59.48 Preço da Ação
$ 31,49 Patrimônio por Ação
A empresa vale x do seu valor patrimonial

Lucro

Quanto a empresa lucra?
$ 148.639.921 Receita líquida
$ Gastos
Lucro anual $ -6.674.445
$ -6.674.445 Lucro
5.128.283 Número de Ações
Lucro por Ação $
Quanto o lucro representa do preço da Ação?
$ 59.48 Preço da Ação
$ Lucro por Ação
A empresa vale x seu lucro anual

Dividendos

Quanto a empresa distribui para os acionistas?
$ Dividendos pagos
5.128.283 Número de Ações
A empresa distribui R$ 1,41 de dividendos para os acionistas
Quanto isso representa do preço da ação?
$ 1,41 Dividendos por Ação
$ 59.48 Preço da Ação
A ação distribuiu % do seu valor como dividendos em 1 ano

Correlação

Quão sensível a ação é à oscilações do Índice Bovespa?
Beta: -0,02
Abaixo de 0,7: Pouco sensível
Entre 0,7 e 1,5: Sensível
Acima de 1,5: Muito sensível

Converse AO VIVO com os melhores analistas da Bolsa de Valores.

Acesse o Chat em tempo real

Histórico

analise-vale5-2016

2016


Nos primeiros oito meses de 2016 a grande mineradora brasileira foi pouco afetada pela crise econômica que se instaurou no país. O primeiro semestre ficou marcado pela grande valorização de sua principal commodity, o minério. Esse, por sua vez, foi o principal motivo do ativo da mineradora desempenhar bons resultados no período.

A Vale, que atualmente ocupa a posição de maior exportadora de minério do Brasil, se beneficiou da alta da cotação de sua principal commodity, a qual alcançou um marco de 40% no semestre.

Em julho, a Vale publicou suas demonstrações financeiras referentes ao segundo trimestre de 2016. Nele reportou um lucro de mais de R$3 bilhões, valor significativamente abaixo do referente ao mesmo período de 2015. A redução se deu principalmente pelos gastos em relação ao desastre da Samarco.

Mesmo que seja inferior a valores anteriores, o resultado da empresa foi satisfatório. A Vale alcançou neste semestre:

  • Crescimento da produção de minério
  • Redução de despesas
  • Evolução do S11D - seu principal projeto
  • Aproveitamento das altas do minério

A valorização do minério de ferro pode ser explicada pela expansão de crédito na China, fato que influenciou grandes investimentos na infraestrutura e no mercado imobiliário do país.

Como o grande país asiático é o principal consumidor da mineradora, a Vale permanece extremamente exposta ao crescimento chinês.

A larga oferta de commodity pelas principais mineradoras, junto ao ritmo calmo da produção de aço chinesa fazem com que analistas acreditem que o preço do minério se manterá no segundo semestre.

Em vista deste cenário, é esperado que a Vale mantenha uma postura estratégica, procurando fortalecer as contas de seu balanço e aumentar seu fluxo de caixa livre.

A administração da grande empresa ainda se preocupa em relação aos desdobramentos do desastre em Mariana, uma vez que ações civis têm potencial de ganhar proporções muito maiores.

Em 2016 a companhia foi destaque em termos de Relação com investidores, de acordo com pesquisa da revista Institutional Investor, uma das principais do ramo. No total foram 15 categorias premiadas, incluindo:

  • Melhor CEO
  • Melhor CFO
  • Melhor profissional de RI
  • Melhor programa de RI
  • Melhor equipe de RI

No primeiro semestre não foram distribuídos dividendos de VALE5.

analise-vale5-2016

2015


Considerado o maior acidente ambiental do Brasil, o rompimento da barragem do Fundão da Samarco (subsidiária da VALE5) teve grande impacto.

O acidente colocou a Vale na linha de fogo de procuradores de cidades e estados atingidos e também dos mais variados órgãos ambientais, pressionando as ações da companhia diante da possibilidade de indenizações bilionárias em razão da tragédia.

O acidente prejudicou ainda a aprovação do Código de Mineração que prometia trazer facilidades ao setor e beneficiar as ações da Vale.

Neste ano a VALE5 teve um primeiro trimestre também complicado, tendo ocorrido:

  • Perda de mais de 9 bilhões de reais;
  • Venda de ativos;
  • Queda da cotação do carvão e do minério;
  • Redução de investimentos;
  • Impactos da alta do dólar;
  • Período tipicamente menos movimentado.

Em abril deste ano a Vale recebeu selo de classificação de risco em Crédito Corporativo de Moeda Estrangeira BBB pela agência S&P.

A empresa também alcançou redução significativa em seus custos de produção, operando com a tonelada de minério de ferro por menos de US$20 pela primeira vez na história.

A empresa iniciou em março novas expedições de minério de ferro no Pará, no município de Curionópolis.

A Vale celebrou em fevereiro 30 anos de atuação em dois estados brasileiros: Maranhão e Pará. A Estrada de Ferro Carajás, que une os dois estados, foi um dos maiores feitos da empresa.

Apesar do cenário desafiador, a Vale na Indonésia foi reconhecida pela Bloomberg como melhor organização de 2015.

Também foi premiada no Canadá por excelência em segurança, engajamento com comunidades e respeito ao meio ambiente

Foram distribuídos dividendos de ações Vale e juros sobre capital próprio (JCP) no valor total de 1,5 bilhão de dólares, sendo:

  • dividendos de R$0,37 por ação em outubro;
  • JCP de R$0,60 por ação em abril.

analise-vale5-2016

2014


Neste ano a empresa comemorou 110 anos da Estrada de Ferro Vitória a Minas e 100 anos da estação de Mariana.

Recebeu o mais relevante prêmio mundial em Suprimentos, o Procurement Leaders Awards, se tornando a primeira empresa brasileira a tê-lo.

Foi apontada pela Revista Exame como a sexta empresa brasileira de melhor reputação e pela revista americana Newsweek como uma das 500 empresas mais verdes em todo o mundo.

Fato relevante para os investidores das ações VALE5 é que a empresa conquistou neste ano dois prêmios importantes em evento brasileiro sobre relação com investidores:

  • 1ª posição em Materiais Básicos;
  • 2ª posição em Desempenho em Relação com Investidores.

Novos trens com vagões fabricados na Romênia começaram a operar na ferrovia Vitória a Minas e sua refinaria no Reino Unido, Cydach, recebeu medalha de prata de Excelência Operacional. Este prêmio é considerado “o Nobel da Indústria”.

Foi inaugurada a mina de Totten, primeira mina nova em mais de 40 anos em Sudbury.

Também foi lançado programa de desenvolvimento de comunidades carentes na Indonésia e novo código de ética e conduta da empresa.

Sua reserva (Reserva Natural Vale - ES) foi sede para evento internacional sobre proteção à biodiversidade.

A empresa distribuiu dividendos VALE5 e juros sobre o capital próprio de VALE5 no valor total de 4,2 bilhões de dólares.

Foram R$0,34 por ação Vale em dividendos VALE5 e VALE3 e Juros sobre capital próprio no valor de:

  • R$0,65 por ação da Vale em outubro;
  • R$0,90 por ação da Vale em abril.

analise-vale5-2016

2013


Apesar do cenário econômico complicado, a empresa encerrou 2013 com aproximadamente 18% de crescimento em relação ao ano anterior, medido pelo EBTIDA ajustado, apresentando terceiro melhor desempenho da sua história.

Apesar disso, no gráfico de VALE5 ainda observou-se queda de mais de 15% nas ações.

Ações da Log-in foram vendidas em leilão da bolsa de valores, assim como da Norsk Hydro, e foram vendidas sua participação na Fosbrasil, produtora de ácido fosfórico, e na Tres Valles, produtora de cobre.

A empresa contribuiu com doação para a luta contra as doenças Tuberculose, Aids e Malária em Moçambique e Malauí.

Foi apontada por pesquisa do site LinkedIn como a mais desejada empresa para se trabalhar no país e por relatório de mudanças climáticas como a empresa do setor de mineração que menos emite gases presentes no Efeito Estufa.

Produção recorde de minério de ferro no 3º trimestre, o segundo melhor da história da empresa, quase 86 milhões de toneladas.

40 anos da primeira vez que a Vale embarcou minério de ferro para a China e o primeiro embarque de ferro para a ArcelorMittal.

Estrada de Ferro Carajás foi considerada por pesquisa como ferrovia mais eficiente do país e companhia (VALE5 e VALE3) foi eleita por empresa canadense como 50ª empresa mais sustentável do mundo.

Foram distribuídos dividendos da Vale e juros sobre capital próprio para os investidores posicionados em ações da Vale no valor total de 4,5 bilhões de dólares, sendo:

  • Dividendos da VALE5 e VALE3 no valor de R$0,12 por ação em outubro;
  • Juros sobre capital próprio de VALE5 e VALE3 no valor de R$0,82 em outubro;
  • Juros sobre capital próprio de VALE5 e VALE3 no valor de R$0,15 por ação em abril;
  • Dividendos de VALE5 e VALE3 no valor de R$0,15 por ação em abril.

analise-vale5-2016

2012


Expansão da produção de cobre da empresa para a Zâmbia, na África.

Foi a primeira empresa brasileira premiada por filmes corporativos em Cannes e a empresa mais admirada por usuários do LinkedIn no Brasil.

Lançou aplicativo para acompanhamento de relatório anual no iPad, o que pode facilitar para os investidores.

Neste ano a cotação de VALE5 subiu 17,40% e a cotação de VALE3 aumentou 13,36%.

Os dividendos da Vale e juros sobre capital próprio de Vale5 distribuídos tiveram destaque, atingindo o valor total de 6 bilhões de dólares.

Os Dividendos foram no valor de R$0,66 por ação VALE5 e VALE3 em outubro.

Os Juros sobre capital próprio foram no valor de:

  • R$0,52 por ação VALE5 e VALE3 em outubro;
  • R$1,07 por ação VALE5 e VALE3 em abril.

analise-vale5-2016

2011


Murilo Ferreira assumiu a diretoria-presidência da Vale.

Neste ano a empresa começou a produzir níquel no Pará.

Houve a fusão entre as divisões Vale Fertilizantes e Vale Fosfatados, mas esse movimento não impediu que o gráfico da Vale mostrasse queda de 24,10% nas ações com direito a voto (VALE3) e de 14,42% na VALE5.

Empresa anunciou investimentos de R$3,8 bilhões para 2014 no projeto Conceição-Itabiritos, adquiriu a empresa produtora de óleo de palma Biopalma Amazônia e iniciou produção de planta de pelotização em Omã, ampliando presença no exterior.

A segunda maior mineradora do planeta atingiu lucro recorde. Neste ano o lucro da Vale foi de 22,9 bilhões de dólares líquidos.

Os dividendos VALE5 e juros sobre capital próprio de VALE5 deste ano também tiveram valor destaque, no total de 9 bilhões de dólares.

O valor foi distribuído em Juros sobre o capital próprio de VALE5 e VALE3 no valor de:

  • R$0,63 por ação em outubro;
  • R$0,61 por ação em abril;
  • R$0,32 por ação em janeiro.

E em dividendos de VALE5 e VALE3 no valor de:

  • R$0,39 por ação em outubro;
  • R$0,93 por ação em agosto.

analise-vale5-2016

2010


Neste ano a agência Fitch premiou a empresa com novo selo de classificação de risco, dessa vez em Crédito Corporativo de Moeda Estrangeira em BBB+.

Planta de processamento de cobre foi inaugurada no Chile, com produção em escala industrial de catodos de cobre.

Foi criado um dos maiores fundos de reflorestamento do nosso país, o Vale Florestar S.A, em parceria com BNDES, Petros e Funcef.

Empresa também recebeu licença para geração energética em Usina Hidrelétrica no Maranhão (a Vale produz grande parte da energia elétrica que suas operações consomem no Sul e Sudeste do país).

Foi incluída no Índice de Sustentabilidade pela Bovespa (foram incluídas as ações da VALE5 e ações da VALE3).

Neste ano a companhia listou ações em uma das Bolsas de Valores mais importantes da região oriental, a bolsa de Hong Kong.

Novas operações em mina de rocha fosfática no Peru foram iniciadas.

Houve a compra da Fosfertil e de ativos de fertilizante da Bunge no Brasil, aquisição de concessões de minério de ferro na Guiné e criação da Vale Energia Limpa S.A para área de combustíveis sintéticos limpos favorecem a expansão da empresa.

Vale patrocinou restauração do Cristo Redentor no Rio de Janeiro e distribuiu juros sobre capital próprio de VALE5 no valor total de 3 bilhões de dólares.

Os JCP da Vale foram no valor de:

  • R$0,55 por ação em outubro;
  • R$0,42 por ação em abril.

analise-vale5-2016

2009


No ano de 2009 a mudança no nome da companhia se tornou definitiva. O nome legal da empresa passou para Vale.S.A.

A Vale recebeu o rating AAA pela agência Fitch em Crédito Corporativo de Moeda Local, sendo considerada uma pagadora tão boa quanto o governo brasileiro.

A empresa assinou acordo com a Unesco para o desenvolvimento de atividades e projetos de educação nas regiões em que atua e aumentou para 76% seu índice de reaproveitamento de água nas operações pelo mundo.

Lançamento do Fundo Vale juntamente com a Florestas Rio Doce em prol da promoção do desenvolvimento sustentável e combate ao desmatamento na Amazônia, e do Instituto Tecnológico Vale, de pesquisa e ensino voltado para inovação e sem fins lucrativos.

Empresa adquiriu operações de minério de ferro em Corumbá e ativos de potássio com a Rio Tinto.

Também aumentou participação na siderúrgica CSA, adquiriu ativos de carvão da Cementos Argos S.A na Colômbia e vendeu participação na siderúrgica Usiminas.

Distribuição de juros sobre capital próprio de VALE5 e dividendos de VALE5 no valor total de 2,75 bilhões de dólares, da seguinte forma:

  • Juros sobre capital próprio de VALE5 e VALE3 no valor de R$0,49 por ação em outubro;
  • Dividendos de VALE5 e VALE3 no valor de R$0,52 por ação em abril.

analise-vale5-2016

2008


Neste ano a companhia deixou definitivamente de utilizar o nome Companhia Vale do Rio Doce e a sigla CVRD, passando a utilizar apenas Vale.

Recebeu novo selo de classificação de risco da agência Moody’s, dessa vez em Baa2 para Crédito Corporativo de Moeda Estrangeira.

Foi listada como a única empresa da América Latina no Carbon Disclosure Leadership Index, que faz um relatório anual sobre atividades das principais empresas do mundo acerca de mudanças climáticas e diminuição da emissão de carbono.

Se tornou a 33ª maior empresa do mundo de acordo com o Financial Times.

Foram distribuídos juros sobre capital próprio de VALE5 e dividendos da Vale no valor total de 2,85 bilhões de dólares para aqueles que possuíam a ação VALE5 ou a ação VALE3.

Os dividendos foram distribuídos no valor de:

  • R$0,14 por ação da Vale em outubro;
  • R$0,20 por ação da Vale em abril.

Os juros sobre capital próprio foram distribuídos no valor de:

  • R$0,51 por ação da Vale em outubro;
  • R$0,24 por ação da Vale em abril.

analise-vale5-2016

2007


Empresa saiu da 4ª posição, ultrapassando Rio Tinto e Anglo American e se tornando a 2ª maior mineradora do mundo.

Foi criada a empresa Log-In Logística Intermodal com 31% de participação da Vale. Também houve a compra da empresa AMCI Holdings Australia Pty, que passa a ter o nome de Vale Austrália e a criação da Vale Soluções em Energia juntamente com o BNDES.

Neste ano a empresa passou a utilizar em sua marca e nome fantasia apenas Vale S.A., como era conhecida na bolsa de valores. A razão social continuou a mesma.

Capacidade de produção de minério de ferro de Carajás sobe para 100 milhões de toneladas métricas por ano e VALE5 conquista subconcessão em leilão da Ferrovia Norte-Sul.

Distribuídos juros sobre capital próprio de VALE5 e dividendos da Vale no valor total de 1,87 bilhão de dólares.

Os juros sobre capital próprio por ação da VALE5 e VALE3 foram no valor de:

  • R$0,38 em outubro;
  • R$0,26 em abril.

E os dividendos da VALE5 e VALE3 foram no valor de:

  • R$0,01 em outubro;
  • R$0,43 em abril.

Essa remuneração somou-se ao ânimo dos investidores que viram no gráfico de VALE5 alta de 90,83% no ano e no gráfico de VALE3, alta de 88,93%.

analise-vale5-2016

2006


No ano de 2006 a empresa recebeu três selos de classificação de risco de diferentes agências. A DBRS classificou a Vale como BBBHigh em Crédito Corporativo de Moeda Estrangeira e as agências Moody’s e S&P classificaram como Aaa em Crédito Corporativo de Moeda Local.

Após longas negociações a Vale adquiriu a canadense Inco, 2ª maior produtora de níquel do mundo (foi a maior transação feita por uma empresa latino-americana), passou a deter 100% das ações da Caemi, sua subsidiária, e também da Valesul.

Se tornou a maior fornecedora da China em minério de ferro.

Neste ano a cotação de VALE5 aumentou 32,54%, ao passo que a cotação de VALE3 cresceu 35,80%.

A companhia distribuiu juros sobre capital próprio de VALE5 e dividendos da Vale no valor total de 1,3 bilhão de dólares, sendo:

  • Juros sobre capital próprio de R$0,56 por ação da Vale em outubro;
  • Dividendos de R$0,01 por ação da Vale em outubro;
  • Juros sobre capital próprio de R$0,67 por ação da Vale em abril;
  • Dividendos de R$0,48 por ação da Vale em outubro.

analise-vale5-2016

2005


Vale recebeu o Investment Grade, sendo a primeira empresa brasileira a recebê-lo. Sua nota foi superior à do próprio país e o selo foi conferido pelas principais agências de classificação: Standard & Poors, Moodys e Dominion Bond.

Empresa ganhou licitação para explorar uma das maiores reservas de fosfato da América do Sul, no Peru. Adquiriu a mineradora canadense Canico e mais de 5 mil vagões e 100 locomotivas para transporte de seus produtos.

Foram distribuídos juros sobre capital próprio de VALE5 e dividendos de VALE5 no valor total de 1,3 bilhão de dólares, sendo:

  • Dividendos VALE5 e VALE3 de R$0,90 por ação em outubro;
  • Juros sobre capital próprio VALE5 e VALE3 de R$0,68 por ação em outubro;
  • Juros sobre capital próprio VALE5 e VALE3 de R$1,11 por ação em abril.

analise-vale5-2016

2004


A Vale inaugurou a primeira mina de cobre brasileira no Pará, diversificando suas atividades.

Iniciou também novos projetos em Fortaleza no setor de aço.

A empresa distribuiu juros sobre capital próprio de VALE5 e dividendos de VALE5 no valor total de 787 milhões de dólares, sendo:

  • Juros sobre capital próprio de R$1,03 por ação VALE5 e VALE3 em outubro;
  • Dividendos de R$0,24 por ação VALE5 e VALE3 em outubro;
  • Juros sobre capital próprio de R$2,06 por ação VALE5 e VALE3 em abril.

analise-vale5-2016

2003


Empresa criou a universidade corporativa Valer, para educação em diversos cursos de desenvolvimento de pessoas dentro e fora da empresa.

Passou também a ter controle da empresa Caemi com 60,2% do seu capital e assumiu o controle da concessionária FCA.

Se tornou a maior empresa privada da América Latina e também adquiriu o controle da Salobo Metais, antes pertencente a Anglo American.

Neste ano as ações da VALE5 subiram 58,81% ao passo que sua “irmã” VALE3 viu suas ações se valorizarem 77,78%.

Distribuição de juros sobre capital próprio da Vale no valor total de 675 milhões de dólares, no valor de:

  • R$3,42 por ações VALE5 e VALE3 em outubro;
  • R$1,62 por ações VALE5 e VALE3 em abril.

analise-vale5-2016

2002


Vale completa 60 anos de atividade.

A companhia fez parceria com o SEBRAE para desenvolvimento de mão de obra em regiões carentes.

Neste ano a empresa comemorou o maior lucro líquido de sua história com R$2,04 bilhões.

Venceu leilão para construir hidrelétrica de Estreito no nordeste do país, e inaugurou hidrelétrica de Funil em MG.

Distribuição de juros sobre capital próprio da Vale no valor total de 602 milhões de dólares, sendo R$2,68 por ações da Vale.

analise-vale5-2016

2001


A companhia comprou 50% das ações da empresa Caemi, holding que controla diversas empresas no setor de mineração e transporte ferroviário e 100% da empresa Ferteco, 3ª maior produtora do Brasil em minério de ferro.

Juros sobre capital próprio de VALE5 foram distribuídos no valor total de 1,06 bilhão de dólares, sendo R$4,62 por ação.

analise-vale5-2016

2000


Vale adquiriu a empresa Gulf Industrial Investment Company.

Neste ano foram distribuídos juros sobre capital próprio - JCP Vale5 no valor total de 246 milhões de dólares, sendo R$3,33 por ação, revelando forte lucro das ações da VALE5.

analise-vale5-2016

1990


Em 1999 foram distribuídos juros sobre capital próprio - JCP VALE5 no valor total de 452 milhões de dólares, sendo R$2,28 por ação.

A década de 90 foi marcada pela privatização da empresa, que ocorreu em 6 de maio de 1997 em um leilão realizado na bolsa de valores do Rio de Janeiro e com financiamento disponibilizado pelo BNDES aos compradores.

A privatização gerou muitas controvérsias, com alegações de que teria sido feita de maneira irregular, sem a empresa ter sido corretamente avaliada e sem considerar as reservas de ferro que já estavam em poder da companhia.

Após a Vale se tornar oficialmente uma empresa privada seu lucro cresceu 46% em 1998.

analise-vale5-2016

1980


A Vale iniciou em 1986 o Terminal Portuário de Ponta da Madeira, que possibilitaria o Projeto Ferro Carajás e uma maior produção global, de 35 milhões de toneladas.

Inaugurou em 1985 a Estrada de Ferro Carajás e iniciou atividades no setor de alumínio em 1982, reduzindo as importações do Brasil.

Vale recebeu aprovação e financiamento do governo para o projeto Ferro Carajás em 1980.

analise-vale5-2016

1970


Em 1978 deu-se início a construção da Estrada de Ferro Carajás.

Em 1977 a Vale passou a exportar também produção de pelotas de suas empresas coligadas.

Em 1975 a Vale se tornou a maior exportadora do mundo em minério de ferro.

Nesta década houve também a fundação da subsidiária Docegeo (Rio Doce Geologia e Mineração S.A) em 1971.

analise-vale5-2016

1960


A primeira usina de pelotização da Vale no porto de Tubarão foi inaugurada em 1969.

Criação de mais uma subsidiária, a Florestas Rio Doce S.A. em 1967.

A empresa inaugurou Centro de Desenvolvimento Mineral em 1965, para estudos de aproveitamento do minério, e o porto de Tubarão em 1966, em Vitória-ES.

Criação da Companhia Siderúrgica Vatu em 1960, da Vale do Rio Doce Navegação S.A em 1962 e contrato de longo prazo também em 1962 com siderúrgicas japonesas.

analise-vale5-2016

1950


Foi realizada a primeira ação de diversificação da empresa com a compra da Reserva Florestal de Linhares, em 1956

Em 1955 a Vale já tinha sua produção destinada a 63 usinas siderúrgicas em 10 países diferentes.

Em 1952 a empresa atingiu 1,5 milhão de toneladas exportadas.

Iniciou em 1954 exportações para países europeus e vendeu minério de ferro para o Japão pela primeira vez.

A Vale aumentou sua produção de minério com melhorias na mina do Cauê em 1950, passando para 1.000 toneladas de minério por hora, e se tornou responsável por 80% do minério de ferro exportado no Brasil, com apenas 8 anos da sua fundação.

analise-vale5-2016

1940


Em 1949 a Companhia Vale do Rio Doce criou em Vitória-ES o Centro de Estudos Ferroviários, com a intenção de desenvolver condições operacionais para transportar minério.

Foi concluído em 1945 o cais de minério de Atalaia, no porto de Vitória-ES.

Em 1944 a Vale teve volume de exportações de minério mais que 3 vezes maior em relação ao primeiro ano.

Ainda em 1944 aconteceu sua primeira negociação na bolsa de valores.

A sede administrativa da Companhia foi transferida para o Rio de Janeiro e empresa entrou na bolsa de valores de lá, negociando papéis que futuramente se transformariam nas ações da VALE5 e ações da VALE3.

Foi aprovado seu estatuto, prevendo o direcionamento de parte dos seus lucros em melhorias para a região do Vale do Rio Doce.

Em 1943 a Estrada de Ferro Vitória a Minas foi concluída, levando até Itabira-MG.

Foi fundada em 1942 a Companhia Vale do Rio Doce com base em acordos firmados entre Brasil, Inglaterra e Estados Unidos.

A Inglaterra possuía jazidas de minério de ferro em Itabira, que transferiria para a Vale, e o governo dos EUA financiaria o projeto. Em troca, a Vale produziria e exportaria 1,5 milhão de toneladas de minério de ferro por ano aos dois países em um prazo de 3 anos.