acoes-da-suzano
*15 min de atraso
SUZB5

CotaçãoSUZB5

5,18%
R$ 172,65

Cotação SUZANO PAPEL ON

Min. 161,78
Máx. 173,63
Abert. 164,23
Fech. 164,15
Dia 5,18%
Semana -0,75%
Mês 3,94%
Ano 52,79%

Gráfico de ações SUZB5

Ver em tempo real

Tendências SUZB5

Tendências

Análise técnica SUZB5

Aprenda Grátis a Investir em Ações na Prática

Cursos para todos os níveis e sobre todos os temas

fundamentalista - SUZANO PAPEL ON

Sobre


A SUZB5 é uma companhia de base florestal com noventa anos de atividades.

A empresa possui atividades em dois segmentos em especial: A celulose de papel e de mercado (cartão e papel não revestido).

A atual situação da Suzano é de grande relevância internacional. A empresa ocupa a 2ª colocação entre os maiores produtores de celulose de eucalipto do mundo e fica em 9° lugar na fabricação de celulose de mercado.

A empresa possui em atividade 3 fábricas integradas de papel e celulose: uma delas fica na Bahia e as outras duas em São Paulo.

Existem também duas fábricas de papel na cidade paulista que não estão integradas, e uma unidade no Maranhão de produção de celulose.

Análise de SUZB5: veja abaixo tudo sobre essa ação!

Visão dos analistas


Análise de Suzano: O que você não pode deixar de saber

Na análise de SUZB5, com base nos demonstrativos apresentados pela Suzano Papel, o mais importante a se destacar é o começo do processo de desalavancagem instaurado pela sua administração.

Após o covenant Dívida líquida/Ebtida ter chegado a 5,2x nos últimos meses de 2013,  esse indicador conseguiu ser diminuído para 4,8x nos últimos resultados apresentados em 2014, o que acabou refletindo de forma extremamente relevante na cotação de SUZB5 e que pode ser observado no gráfico da Suzano.

A implantação de uma posição mais avessa ao risco no que diz respeito a estrutura financeira da empresa vem seguindo a tendência que começou em 2013. Essa tendência levou a SUZB5 a adiar alguns de seus projetos, que haviam sido abertos com a ideia de dar prioridade à diminuição da alavancagem em um cenário em que a situação macroeconômica doméstica não é favorável.

Olhando pelo ambiente operacional, o começo das operações no Maranhão teve reflexo relevante, elevando as vendas e produções da SUZB5:

  • A produção aumentou cerca de 35% em relação ao ano passado (um aumento de mais de 150 mil toneladas de celulose).
  • Além disso houve aumento de 5,40% na área de vendas, impactando de forma extremamente positiva na cotação da SUZB5.

O aumento no estoque, causado pelo avanço mais rápido da produção do que das vendas, tem como principal objetivo permitir que a companhia viabilize o começo da operação no Maranhão, que vem sendo extremamente importante para a empresa.

Nas atividades relacionadas ao papel o que podemos observar foi uma elevação de 5,50% no preço líquido médio e um aumento nas vendas de 7,20%. Se fizermos uma comparação com os três primeiros meses do ano passado, esse crescimento colaborou significativamente para a ascensão de aproximadamente 20% na receita líquida da companhia no primeiro trimestre de 2014.

Esse momento junto com uma evolução na margem, que foi corroborada pela menor criação de despesas na receita operacional líquida, cria caminho para a continuação da etapa de estruturação dos números da companhia.

A estratégia que vem sendo utilizada pela Suzano tem como objetivo aumentar a capacidade operacional e diminuir os riscos ligados a sua estrutura de capital (melhorando seu caixa) em razão do começo das atividades no Maranhão.

Considerando estes fatos, o que podemos enxergar na análise da Suzano é um cenário que pode ser extremamente positivo, em especial se avaliarmos esses pontos junto com a possibilidade de potencialização dos lucros, caso aconteça a aguardada elevação do dólar sobre as exportações da companhia.

Pontos positivos:

  • Atuação mundial, o que permite à companhia nível de diversificação, reduzindo o risco geográfico a que ficam sujeitas as suas operações. Nos dias de hoje pouco mais de 20% das suas vendas são para o Brasil, o que impacta diretamente no gráfico de SUZB5;
  • O atual momento macroeconômico aponta para uma valorização do dólar em relação ao real, o que favoreceria muito as receitas de exportações recebidas pela empresa;
  • A empresa possui custos para as suas atividades extremamente competitivos em termos mundiais;
  • Se trata de uma empresa autossuficiente na energia consumida;
  • O aumento relevante no que diz respeito a capacidade operacional graças a unidade nova no Maranhão.

Pontos negativos:

  • A empresa tem seus produtos considerados commodities, dessa forma existe mínimo espaço para a sua precificação, o que deixa mais volátil as suas receitas e o seu resultado;
  • Mesmo com o processo de desalavancagem tendo começado, a empresa ainda não conseguiu reduzir tanto a relação de sua dívida líquida total e seu EBTIDA, que ainda está em patamares elevados;
  • Nem com a listagem da empresa em uma área diferenciada em termos de governança corporativa os papéis da Suzano conseguiram ainda assegurar um nível de tag along.

Números sobre a empresa


Valor

Quanto a empresa vale no mercado?
Preço da Ação
Número de Ações
Valor total $ 20.247.674 Preço da empresa no mercado de ações
Qual o valor do patrimônio líquido por ação da empresa?
Ativo total
Passivo total
Valor patrimonial por ação R$ 10,50
Quanto a empresa vale em relação ao patrimonio líquido?
$ 0 Preço da Ação
$ 10,50 Patrimônio por Ação
A empresa vale x do seu valor patrimonial

Lucro

Quanto a empresa lucra?
$ 9.876.213 Receita líquida
$ Gastos
Lucro anual $ 1.009.750
$ 1.009.750 Lucro
1.105.826 Número de Ações
Lucro por Ação $
Quanto o lucro representa do preço da Ação?
$ 0 Preço da Ação
$ Lucro por Ação
A empresa vale x seu lucro anual

Dividendos

Quanto a empresa distribui para os acionistas?
$ Dividendos pagos
1.105.826 Número de Ações
A empresa distribui R$ 0,35 de dividendos para os acionistas
Quanto isso representa do preço da ação?
$ 0,35 Dividendos por Ação
$ 0 Preço da Ação
A ação distribuiu % do seu valor como dividendos em 1 ano

Correlação

Quão sensível a ação é à oscilações do Índice Bovespa?
Beta: -0,15
Abaixo de 0,7: Pouco sensível
Entre 0,7 e 1,5: Sensível
Acima de 1,5: Muito sensível

Converse AO VIVO com os melhores analistas da Bolsa de Valores.

Acesse o Chat em tempo real

Histórico

cotacao-da-suzano

2015


A Suzano nesse ano apresentou novamente o interesse na compra de uma fatia da sua principal concorrente no mercado, a Fibria.

A companhia possui como principais acionistas a família Ermírio de Moraes, que possui quase 30% do controle acionário da empresa.

A diretoria da SUZB5 confirmou o interesse na fatia da Fibria, porém disse que as negociações não estão acontecendo. A companhia esta sempre aberta a novas fusões e aquisições, mas o principal objetivo no momento é reduzir os custos de produção do grupo e criar novas possibilidades, afirmou Walter Schalka presidente da Suzano.

Neste ano a empresa distribuiu dividendos das ações SUZB5 no valor total de R$0,25 por ação.

cotacao-da-suzano

2014


No ano de 2014 a Suzano Papel e Celulose, uma das maiores produtoras de celulose de eucalipto e papel de toda a América Latina, chegou a cidade de São Manuel-SP.

A empresa instalou um novo escritório na cidade no início do mês de julho. Dando  seguimento ao projeto de primarização de novos postos de trabalho, a SUZB5 contratou elevado número de funcionários para mão de obra e transferiu cerca de cinquenta funcionários para essa nova unidade administrativa que era localizada em Lençóis Paulista.

A inauguração desta nova unidade ajudou de forma extremamente relevante na evolução do município, auxiliando na criação de novos postos de comércio e expansão das cidades.  

O novo escritório em São Manuel ainda conta com funcionários operando em toda a região na área de colheita mecanizada de eucalipto e também na área administrativa.

Neste ano foram distribuídos dividendos das ações da Suzano no valor de R$0,12 por ação.

cotacao-da-suzano

2013


Neste ano a Suzano ficou na segunda colocação entre os principais produtores de eucalipto do mundo.

A companhia recebeu onze novos equipamentos para colheita da madeira, que iriam ser utilizados nas unidade de Imperatriz, no Maranhão.

A Suzano disponibilizou um valor de aproximadamente 45 milhões de reais, viabilizando a colheita que iria acontecer no mês de fevereiro. As máquinas recebidas fazem parte de uma encomenda de 44 equipamentos da marca canadense Tigercat que chegarão em lotes até julho, segundo contrato firmado entre a Suzano e a Tracbel, o que permitirá melhorar ainda mais sua produção.

Neste ano a companhia distribuiu dividendos de SUZB5 no valor de R$0,34 por ação para  os seus acionistas.

cotacao-da-suzano

2012


A SUZB5 comunicou que irá fazer uma nova oferta de ações Suzano ao mercado, com a intenção de reforçar a sua estrutura de capital e o caixa, acompanhando em especial a estratégia da sua concorrente Fibria.

A companhia comunicou ainda a contratação de uma linha de crédito de 2 bilhões de reais com o BTG Pactual, fato de alta relevância para o mercado. Esse capital poderia ser liberado em duas tranches e ficaria à disposição para saques até o terceiro mês de 2014.

A empresa confirmou que segue monitorando e avaliando a venda de ativos e também em busca de novas parcerias para os projetos.

A Suzano passa a deter os ativos totais da Conpacel (Consórcio Paulista de Celulose e Papel) e adquire também a KSR, maior distribuidora nacional de produtos gráficos., ambas antes pertencentes à sua concorrente Fibria.

Neste ano a Fibria também havia feita uma nova oferta de ações e conseguiu levantar cerca de um milhão e meio de reais, assim os analistas já estavam prevendo que a Suzano Papel poderia adotar a mesma estratégia.

Fibria (FIBR3) e Suzano (SUZB5) vem encontrando relevante endividamento por inúmeros motivos:

  • A primeira para passivos herdados da união entre Aracruz e VCP que a criou;
  • A segunda para fazer um plano agressivo de elevação da capacidade produtiva.

No ano de 2012 a empresa anunciou o pagamento de dividendos da Suzano para os seus acionistas no valor de R$0,34 por ação.

cotacao-da-suzano

2011


No último mês deste ano a Suzano iniciou as operações da sua nova unidade de produção, que tem capacidade para produção anual de um milhão e meio de toneladas de celulose no mercado de eucalipto.

A atual planta colocada na cidade de Imperatriz (MA) ocupa cerca de 1,5 milhão de metros quadrados, sendo quase 100 mil metros de área construída.

Neste investimento foram utilizados aproximadamente 2,5 bilhões de dólares, sem contar com os 575 milhões destinados a estrutura da base florestal.

Este capital foi obtido com base no financiamento a longo prazo, em estruturas de competição de custo e carência: aproximadamente 3 bilhões de reais do BNDES com prazo de doze anos e carência de 3, além de um bilhão de debêntures mandatoriamente conversíveis em papéis da empresa, para geração de caixa e financiamentos externos pra parcela de equipamentos importados.

A estruturação do projeto que começou em 2008 seguiu bem em linha com o que foi planejado. No último mês de setembro, o parque já tinha obtido cerca de 95% da forma física geral e estava quase pronto no quesito construção civil, assim como a base de montagem industrial implementada e as simulações de operação para o start up da planta.

Neste ano os acionistas foram remunerados com juros sobre capital próprio - JCP da Suzano no valor de R$0,25 por ação.

cotacao-da-suzano

2010


A Suzano comunicou a ideia de criar uma empresa de energia renovável neste ano, com a expectativa de construção de 3 fábricas de pellets, que são utilizados para gerar energia com capacidade de mais de um milhão de toneladas por ano.

O primeiro investimento para criação das 3 bases produtoras de pellets de madeira da Suzano Energia Renovável poderia alcançar até um bilhão de dólares, gasto bem superior aos 800 milhões que eram esperados no inicio do projeto.

Neste ano o principal ponto de dificuldade do projeto foi encontrar um investidor para participar desse novo empreendimento. Esse ponto acabou adiando o cronograma inicial, que tinha como previsão sair do papel entre o ano de 2013 e 2014, e atrapalhando as condições de início, pois com as varições do câmbio o gasto estimado foi extremamente elevado.

Neste ano houve remuneração dos seus acionistas com dividendos das ações Suzano e juros sobre capital próprio - JCP SUZB5 no valor total de R$0,59 por ações SUZB5.

cotacao-da-suzano

2008


Com a ideia de lançar novos projetos, a capacidade anual de produção de celulose crescerá mais do que 4 milhões de toneladas por ano e o potencial de produção passará de 7 milhões por ano de celulose e papel.

Os projetos que foram iniciando contam com a expansão da unidade de Mucuri e três novas linhas de produção de celulose planejadas:

  • Unidade de celulose no Piauí (1 linha);
  • Unidade no sul do Maranhão (1 linha);
  • Ampliação da unidade de otimização Mucuri das linhas 2 e 1 que já existem;
  • Previsão de nova linha de celulose em uma das unidades citadas do Maranhão, Piauí ou em nova unidade definida oportunamente.

A capacidade prevista de cada nova linha de celulose, baseada em tecnologia de projetos atuais, é da ordem de 1,3 milhão de toneladas por ano. A efetiva capacidade será determinada na ocasião da elaboração dos respectivos projetos de engenharia com base na melhor tecnologia então disponível.

cotacao-da-suzano

2007


No ano de 2005 a SUZB5 começou um projeto de capital com objetivo de aumentar uma segunda linha de polpação em sua unidade de Mucuri, na Bahia.

A primeira linha entrou em atividade em 1992 e quando foi iniciado o start up da segunda linha em 2007 ela se tornou a maior e a única linha de polpa de todo o mundo, com um potencial de produção de 1 milhão de toneladas ao ano.

A empresa pagou aos seus acionistas como forma de remuneração Juros sobre capital próprio de ações SUZB5 e dividendos das ações da Suzano no valor de R$0,46.

cotacao-da-suzano

2005


No dia 11 de novembro as fabricantes de papel Suzano Bahia Sul e Votorantim Celulose e Papel (VCP) deixaram as rivalidades de lado para anunciar a aquisição de 59,5% do capital da Ripasa.

A transação, avaliada em US$720 milhões, ocorrerá em duas etapas:

  • até 31 de março de 2005, as duas empresas juntas desembolsarão US$480 milhões;
  • o restante - US$ 240 milhões - será pago ao longo de seis anos.

As novas sócias assumirão exatos 50% na parcela do capital adquirido da Ripasa.

Mesmo com alguns analistas considerando o preço da aquisição elevado por alguns indicadores de mercado, os administradores das empresas que adquiriam a Ripasa confirmaram que a plataforma oferecida justifica o valor pago. Dessa forma o preço foi considerado justo pelo valor que será agregado.

As participantes não confirmaram como seria a divisão exata do controle das unidades, e por esse motivo muitas atividades ficaram nesse momento fora do ar. O setor de cartões por exemplo, não está no centro das atenções da VPC atualmente. Como a Ripasa foi referência nesse setor, ainda consideraram importante uma avaliação para ver se seria relevante.

Neste ano os acionistas foram remunerados com dividendos das ações Suzano e juros sobre capital próprio das ações SUZB5 no valor total de R$0,51 por ação.

cotacao-da-suzano

2004


A Companhia SUZB5 comunicou que será incorporada pela Bahia Sul, sua controlada.

Segundo a administração da empresa, a ideia é diminuir os gastos e simplificar a estrutura societária.

cotacao-da-suzano

1992


Nesse ano a Bahia Sul, seguindo com o programado, iniciou a condução dos negócios para buscar os melhores padrões ambientais para a produção de celulose.

As técnicas de colheita e plantio utilizadas na época são menos agressoras ao meio ambiente e permitem com que a companhia busque maior produtividade e eficiência.

cotacao-da-suzano

1975


Nesse ano a Suzano Papel e Celulose iniciou o processo de exportações para o mercado europeu, permitindo assim otimizar a diversificação geográfica expandindo as suas atividades.

cotacao-da-suzano

1960


A companhia abriu capital e começou a negociar as ações Suzano na Bovespa.

cotacao-da-suzano

1956


Foi efetivada a compra da fábrica de Suzano aumentando a gama de produtos insumos para a produção de papel e celulose.

cotacao-da-suzano

1939


Começo das atividades de produção de papel.

cotacao-da-suzano

1924


A geração Feffer criou um grande império da indústria, começando com um pequeno negócio de tipografia em São Paulo.

Criada em 1924 pelo ucraniano Leon Feffer, a SUZB5 iniciou as suas atividades a partir da comercialização de papéis importados e nacionais, que eram utilizados como material para produção de blocos para anotações, papel carta e cartões de visita.